Peço um instante de seu tempo, para você nos ajudar a promover o blog curtindo a Fanpage do Nosso Grupo Informe Cultura

História do Desenho Animado

A criação de desenhos é algo instintivo do ser – humano, que o acompanha desde a época pré-histórica. A busca por desenvolver seus primitivos desenhos, fez com que se tornassem os desenhos de hoje, talvez não melhores ou mais evoluídos, porém mais atuais, uma adaptação para às crianças (e, por que não dizer, aos adultos). O primeiro desenho animado pode ser considerado Fantasmagorie em 1908. Desenvolvida pelo francês Emile Cohl, ela tinha apenas aproximadamente 2 minutos 

Mas os primeiros desenhos animados como conhecemos hoje surgiram apenas na década de 1910, no então cinema mudo e sem cores, quando a maioria das animações era de curta-metragem, geralmente visando a um público mais adulto, com piadas e roteiros. Continuando a linha do tempo, vemos o surgimento de animações como O Gato Félix. que incrivelmente faz sucesso até hoje e que foi criado na década de 20, ainda sem cores nem falas. 

Ainda na mesma década, temos o surgimento da Disney e do famoso camundongo Mickey, sendo o primeiro desenho com efeitos sonoros, tendo a voz do próprio criador, Walt Disney, sendo uma completa revolução para a época, tornando o desenho um imenso sucesso. Graças a esse trabalho o pobre camundongo trabalha até hoje, estrelando mais de 100 curtas. 

Na década seguinte, surgi uma personagem bastante influenciada pela época: Betty Boop, uma menina de cabeça grande e olhos redondos, com uma cara de santinha, e com um vestido não muito adequado para os padrões vividos, mostrando a faixa etária a qual o desenho destinava-se. Ainda sem cores, mas com som, ela foi um sucesso, até que o regime anticomunista a colocasse como um dos problemas a serem solucionados. 

Para “preservar a moral” americana, ela ganhou uma roupa mais comportada e trocou sua personalidade, se tornando uma esposa obediente. Teve seu fim em 39, voltando algumas vezes em filmes ou produtos. Ainda na década de 30, mais precisamente em 1932, Walt Disney inova novamente e traz o primeiro desenho animado colorido: Flores e Árvores. E no embalo do sucesso de seus desenhos o surgimento de novas empresas da área, como a Warner. 

A Warner, que apenas tentava copiar a formular de seu concorrente, teve seus desenhos remetidos ao completo fracasso. Mas, ao buscar uma nova formula, apelando para a insanidade dos personagens, criou, no final da década, Pernalonga e companhia. Nos anos seguintes, com a preocupação mundial da guerra, os desenhos não tiveram grandes alterações, apenas o acréscimo de personagens: Tom e Jerry, pela Warner, e Zé Carioca, uma homenagem aos cariocas, pela Disney. 

Até então, os desenhos eram exibidos no cinema, o que mudaria no decorrer do tempo. William Hanna e Joseph Barbera se juntaram com um nobre objetivo: levar os desenhos animados para a televisão. Em 1949, estrearam Os Flinstones, Zé Colméia, Manda Chuva, Os Jetsons e muitos outros que ainda hoje, podem ser conferidos no canal da TV a cabo, Boomerang. As décadas de 50, 60 e 70 se seguiram com esses desenhos que apresentavam problemas do cotidiano da família, não importava o quão estranho ela fosse. 

E também teve o surgimento de desenhos famosíssimos como Frajola e Piu Piu, Papa-léguas e Pica-Pau, que geralmente seguiam a mesma fórmula repetitiva: tinham bastante pancadaria gratuita e uma caça incessante entre os dois personagens principais, com o caçador sempre apanhando. Nos anos 80, nasceram muitos dos desenhos que fizeram à cabeça da geração que hoje é jovem, mas nem tão jovem assim. 

Muitos dos desenhos que passam hoje nas manhãs do SBT , como He-Man e os Mestres do Universo, Transformers, Caverna do Dragão e Thundercats, são dessa época, quando a fórmula do sucesso não era apenas a famosa perseguição e vitória da caça, mas que exigia a luta entre os personagens, vitória dos bonzinhos, contando com uma lição de moral para finaliza o episódio. 

Em 90, vemos um aprimoramento no humor dos desenhos. Sátiras se tornam comuns e as piadas, mais elaboradas. As lutas diminuíram, mas de forma mais suave e cômica ainda estavam presentes. Nessa década, Steven Spilberg foi contratado pela a Warner, e tornando-se o encarregado desenvolveu desenhos atualíssimos e muito divertidos como Pink e Cérebro, dois ratos de laboratório que querem dominar o mundo e para isso, usam planos mais do que mirabolantes; Animaniacs, três irmãos endiabrados e Freakazoid, que por ser tão insano, tornou-se excelente. 

Outros desenhos que ainda afloraram nessa época, foram South Park e Os Simpsons, marcando a volta dos desenhos mais adultos e de humor mais negro. No final da década, temos uma invasão de animês, que se fortalecem ainda mais no novo milênio. Febres como Pokémon e Cavaleiros do Zodíaco tornaram possível a entrada de inúmeros desenhos japoneses e fizeram com que a programação de desenhos de diversos canais fosse constituída de sua maioria por animês.A volta de desenhos mais extremistas também foi marca do período, como o sucesso Bob Esponja e tantos mais que ainda estão por vir.

Um comentário: